Sobre a Olimpíada Brasileira de Agropecuária | OBAP

APRESENTAÇÃO

A Olimpíada Brasileira de Agropecuária (OBAP) é uma competição científica nacional destinada aos alunos do curso Técnico em Agropecuária e demais cursos do Eixo Tecnológico de Recursos Naturais de todo Brasil. Ela tem como objetivo estimular o ingresso de jovens do Ensino Médio/Técnico integrado, concomitante e subsequente em carreiras técnico-científicas, incentivando a participação em atividades de iniciação científicas, colocando-os em situações desafiadoras e estimulando a cooperação e a integração entre eles. Dessa maneira, retorna à sociedade brasileira benefícios originados da melhoria do ensino público de nível médio e técnico ligados à agropecuária.

Podem se inscrever alunos do Ensino Médio integrado ou concomitante aos cursos técnicos em Agricultura, Agropecuária, Agroecologia, Zootecnia, Agronegócio, Alimentos, Agroindústria, ou do Eixo Tecnológico de Recursos Naturais (veja este catálogo, na página 225). Em caráter especial poderão participar alunos do ensino técnico subsequente.

FASES E PROVAS

A OBAP é dividida em 2 fases, em que os estudantes realizarão as provas individualmente, sendo uma fase escolar (online) e uma fase final (presencial).

  • Fase Escolar (online): 40 questões de múltipla escolha;
  • Fase Final (presencial): é composta de 2 etapas. Na primeira, as equipes classificadas da primeira fase devem realizar várias provas práticas propostas pela organização. Na segunda, cada integrante faz a prova individual, com 20 questões objetivas e 4 questões discursivas.

PREMIAÇÃO

Todas as equipes recebem certificados de participação. Às equipes do Ensino Médio integrado ou concomitante que obtiverem as melhores notas na Fase Final são dadas: 5 medalhas de bronze, 5 medalhas de prata e 5 medalhas de ouro. As três melhores equipes recebem troféus.

Os estudantes das equipes medalhistas podem ser convidados a participar da seletiva para representar o Brasil na International Earth Science Olympiad (IESO).

LINKS DA OBAP

Auxiliar de Tecnologia

Nascido em Patos de Minas, MG, conheceu a OBMEP em 2014, recebendo sua primeira Menção Honrosa. Ama programação e matemática, e quer seguir uma carreira de desenvolvedor web back-end.

Comentários