Top

Entrevista Obmepeira com a mãe olímpica Daniela Baracat #08

Após cinco meses iniciamos a segunda temporada de entrevistas obmepeiras, e para iniciar muito bem essa temporada temos um especial de dia das mães! Sim, convidamos uma mãe olímpica para contar sua história! Confira a entrevista abaixo, ela ficou sensacional!

Daniela Baracat Martins é mãe de Gustavo Baracat de 14 anos que já conquistou 33 premiações em olimpíadas nacionais e internacionais. Em uma dessas ele representou muito bem nosso país e trouxe para o Brasil uma medalha de prata na Olimpíada Internacional Junior de Ciências (IJSO). Que o Gustavo é um menino de ouro o mundo já sabe, mas especialmente hoje vamos conhecer a história dessa mãe também de ouro que é dedicada 100% à família e a vida olímpica do filho!

 

Antes de iniciarmos, conte um pouco de sua história

“Meu nome é Daniela, tenho 42 anos, sou pedagoga e tenho pós graduação em Marketing Comportamental e Gestão de RH. Atualmente sou dona de casa, dedicada 100% à família, sou casada  e moro na Zona Leste de São Paulo. Mãe do Gustavo (14 anos) e Giovanna (7 anos). Resumindo um pouco da minha história, Gustavo, meu filho de 14 anos, é um menino que foi diagnosticado como superdotado, que aprendeu a ler e escrever sozinho aos 3 anos e meio, sendo avaliado na época por uma equipe multidisciplinar e entrando no 1º ano do Fundamental I com 4 anos de idade. Aos 9 anos o levei a um local especializado em superdotação para fazer os devidos testes o que foi diagnosticado seu QI 154 geral e 156 para lógica e matemática. Na época tivemos muitos problemas financeiros, Gustavo estudava numa escola estadual, sofria muito por ser tão novinho e aí que do 5º para o 6º anos surgiu a oportunidade de fazer a prova de bolsa em uma escola particular e conseguiu, juntamente com um casal que chamamos de “anjos” em nossas vidas que nos ajudaram com subsídios de livros, matrícula, uniformes, materiais ET. Dessa forma Gustavo ingressou na vida olímpica no 6º ano.”

 

Como você identificou o gosto do Gustavo pela matemática? Como foi esse processo?

“Foi muito natural o início desse gosto pelas aulas de olimpíadas. Primeiramente ele ia aos sábados alternados, meio período, matemática. Depois todos os sábados em turno integral. E quando vimos no 8º ano ele já frequentava algumas tardes na semana e todos os sábados e começou a expandir as matérias. Já fazia aula com o pessoal do ensino médio de matemática, química, física e já competia nessas olimpíadas e também robótica e astronomia. Hoje sua rotina é, além das aulas normais do ensino médio pela manhã (ele está no 2º ano) assiste aulas de olimpíadas todas as tardes e sábados o dia todo. Quando está perto de alguma competição ou seletiva internacional já sei que os domingos e feriados também serão ocupados. Ele adora esse ritmo.”

 

 

Como é a Daniela mãe olímpica?

“Eu e o pai dele, o Jefferson, vivemos essa vida 100%. Levar pra escola, pras aulas, acompanhar, preparar muitos lanches e marmitas. O Gustavo sai de casa às 6h e retorna por volta das 20h, todos os dias, mas é uma atividade muito gratificante organizar a rotina dele, eu fico despreocupada pois sei que está se alimentando bem. Sempre cuido para que ele durma cedo e que se divirta também no tempo livre. De fato, ele é um menino muito especial e nossa família só tem a agradecer por participar de tudo isso cedo e se divirta em seu tempo livre, ele é um menino muito especial só temos a agradecer.”

 

 

Qual a importância das olimpíadas científicas na vida dos alunos/filhos?

“As olimpíadas tiram o aluno da zona de conforto, oferecem muitos benefícios, eles convivem em grupos com os mesmos objetivos, competem, trocam ideias. Todo esse processo só acrescenta. Minha mensagem para a comunidade olímpica é a continuidade, continuem se abraçando e se ajudando, se descobrindo e competindo. Olimpíada não é só colégio, quando nossos meninos vão para olimpíadas internacionais, por exemplo, não é uma escola ou outra, é nosso Brasil mostrando que aqui temos os melhores do mundo!”

 

Quais premiações o Gustavo já conquistou?

“Gustavo tem 33 premiações olímpicas (30 medalhas e 3 menções honrosas) sendo 13 ouros. Participa da OPM, OBM, OPF, OBF, OBMEP, OBQJr, OBQ, TVQ, Canguru, Olimpíada de Mayo, OBA, OBR, OBI, OBB, ONC, OBC recentemente ganhou ouro na Brasileira de Linguistica (amanhã vai pra UFSCar pra ELO ficar 1 semana na Escola de Linguistica de Outono), em dezembro trouxe prata para o Brasil na IJSO em Botswana na Africa e em julho está indo para o programa de verão em Duke University, na Carolina do Norte, USA, conquistado pelo Ismart que é um programa que busca talentos e que Gustavo também faz parte. 

Ah! Em seu tempo livre faz um trabalho voluntário chamado Metamorphose, onde auxilia nas aulas de matemática 2x por semana numa escola estadual para alunos de 6º ano.”

 

Você tem um Instagram com a rotina de sua família, como funciona?

“Tenho um Instagram de dona de casa que mostro os bastidores do dia a dia e da correria com marmitas, uniformes, viagens etc, se chama @coisasdedannyb e muitas mães me escrevem inspiradas nessa correria do dia a dia mesmo. É muito bom poder compartilhar e ajudar várias mães. Minha rotina começa às 5h porque faço questão que ele se alimente bem desde o café da manhã, então acordo bem mais cedo que ele para organizar as frutas, marmitas e lanches. Termino o dia preparando as marmitas e lanches do dia seguinte. Eu amo poder cuidar de tudo.”

 

Como a Giovana lida com essa vida corrida do Gustavo?

“Giovanna acabou de fazer 7 anos e está no 2º ano do ensino fundamental, desde o ano passado pede para fazer olimpíadas, são muitos anos acompanhando a rotina do irmão e principalmente as premiações, ela vibra, é a maior fã dele! Esse ano conseguiu um ingressar no mesmo colégio que ele, após realizar uma prova, tem notas maravilhosas e já espera a oportunidade para começar a fazer a competir.

No mais gostaria de agradecer a oportunidade, e quero me colocar à disposição. Seja qual for o sonho de nossos filhos, só nos resta apoiar e cuidar da retaguarda para que se desenvolvam da melhor maneira possível e sejam felizes. Gustavo só está onde está porque ele quis assim, Giovanna só mudou de escola para esperar o início de sua vida olímpica porque ela quis assim e se um dia eles mudarem de ideia estaremos aqui também para o que der e vier.”

 

 

Daniela, a equipe da Obmepeiros Educação agradece sua participação no nosso especial dia das mães. Você, assim como muitas mães do Brasil, passou a sonhar com a realização dos sonhos dos filhos.  Dedica-se incansavelmente à felicidade da família, e assim como eles são seu orgulho, você é o orgulho deles. Temos certeza de que não existe medalha ou premiação mais significativa do que a gratidão e o abraço da Giovanna e do Gustavo. Feliz dia das Mães! 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fundador e Diretor Geral

Natural de Maracaí no interior paulista, tem 18 anos e está em processo de preparação para o Vestibular do ITA, Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Criou a Obmepeiros em novembro de 2015 e coordenou a Olimpíada Brasileira Virtual de Matemática até 2018.

[fbcomments]