Top

Entrevista Obmepeira com João Lucas Duim #07

Um novo ano começou e para comemorarmos nada melhor do que uma entrevista de alto nível, não?

João Lucas Duim tinha 16 anos anteontem e fará 19 ano que vem, será ele um personagem do Fomin? Conheçam agora um pouco dele que é mineiro e um multimedalhista em uma variedade de olimpíadas!

1. Para começar, conte um pouco de sua história.

Olá! Meu nome é João Lucas Duim, tenho 17 anos, sou de Minas Gerais. Desde pequeno eu gosto de estudar e, percebendo as dificuldades da minha família, passei a me empenhar nos estudos cada vez mais em busca de, no futuro, ajudá-los a ter uma vida mais tranquila, menos sacrificada e alcançar o sucesso. As olimpíadas científicas entraram na minha vida e a transformou totalmente. Atualmente estou no segundo ano do ensino médio, buscando representar o Brasil em alguma olimpíada Internacional e uma aprovação no ITA!

2. Como foi o seu primeiro contato com as olimpíadas?

Em 2013, no sexto ano do ensino fundamental, minha professora de matemática me apresentou a OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) e minha professora de ciências me apresentou a OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia). Naquele ano, sem me preparar para as provas (tudo era muito novo e eu não tinha acesso à internet em casa, nem livros como suporte para tal), conquistei um bronze na OBMEP e um ouro na OBA. Como sempre fui apaixonado por matemática e astronomia, foi o pontapé inicial para que eu cada vez mais procurasse me aprofundar nos conhecimentos. Com a medalha da OBMEP, fui convidado em 2014 para participar do PIC (Programa de Iniciação Científica), onde eu tive contato com o ambiente universitário e com pessoas que, assim como eu, amavam matemática! Tudo isso trouxe muitas experiências e conhecimento para que eu conquistasse mais premiações em olimpíadas, expandindo cada vez mais meus horizontes e servindo de incentivo para seguir em frente.

3. Quais prêmios já ganhou e quão importantes foram eles para você?

Todos os prêmios são muito importantes para mim. Foi por causa deles que tantas oportunidades apareceram. Não consigo imaginar como seria minha vida sem as olimpíadas. Já ganhei os seguintes prêmios:
Bronze na OBMEP 2013
Ouro na OBA 2013
Ouro na OBMEP 2014
Prata na OBA 2014
Ouro na OBMEP 2015
Ouro na OBMEP 2016
Ouro na OMM 2016
Prata na Canguru de Matemática 2016
Prata na OBG 2016
Ouro na OBMV 2016
Prata na OBA 2016
Menção honrosa na OBM 2016
Prata na OBG 2017
Prata na OBMEP 2017
Prata na Canguru de Matemática 2017
Bronze na OBR 2017
Bronze na OBMEP 2018
Menção honrosa na OCM 2018
Bronze na OBS 2018
Menção honrosa na ONC 2018
Ouro na canguru de matemática 2018
Bronze na OCF 2018
Bronze na OBR 2018
Ouro na OBG/OBCT (online) 2018
Ouro na OBCT (presencial) 2018
Bronze na OBG (presencial) 2018
Ouro na OBA 2018

4. Como você estudou/estuda para olimpíadas?

Primeiramente, busco entender os conteúdos que podem ser abordados. Em seguida, faço questões para fixar e aprofundar e depois pego materiais da olimpíada (como provas anteriores, bancos de questões…) ou indicados para preparação. Seguindo esse passo a passo com dedicação, é só fazer a prova com calma e atenção.

5. Qual dica você daria para quem vai se preparar para as próximas olimpíadas?

Busque aquilo que você gosta, escolha uma olimpíada como principal e dê preferência a ela, mas é importante não se esquecer das outras. Faça o máximo possível de olimpíadas, isso ajuda a adquirir experiência, conhecimento, identificar falhas, fazer novos amigos, encontrar oportunidades. Se esforce ao máximo possível. Com certeza você será recompensado. Pode ser que demore, mas tudo isso vai valer a pena. É importante também procurar oportunidades de crescimento: algo como escolas de qualidade, grupos de estudos, cursos, bibliotecas com um acervo vasto e de qualidade… Faça o que puder para melhorar, sempre! Certamente você alcançará sucesso!

6. Como as olimpíadas transformaram a sua vida?

As olimpíadas me mostraram que eu posso ser quem eu quiser. Basta me esforçar, acreditar que sou capaz, saber esperar e não desistir, por mais longe que pareça estar o objetivo. As olimpíadas encurtaram distâncias para mim e mostraram que o mundo é logo ali Me ajudaram também a decidir qual faculdade cursar. Por causa delas, também pude cruzar o país e estudar num dos melhores colégios do Brasil, o que me trouxe mais oportunidades, ensino de ponta e poder conviver com outros estudantes olimpícos que também têm grandes objetivos e lutam para realizar seus sonhos. São inúmeros benefícios, que mudaram completamente minha vida e sou muito grato por tudo isso!

7. Quer acrescentar algo que não foi dito?

Lembre-se de que estamos apoiados em um tripé: corpo, mente e espírito. Cuide bem dos três, e assim sua vida estará em equilíbrio. O mundo precisa de pessoas mais altruístas, bondosas, respeitosas e humildes. Quando você obter sucesso em algo, não se sinta superior aos outros. Quando você não obter sucesso em algo, não se sinta inferior aos outros. Somos todos seres humanos e temos sucessos e fracassos. Sempre ajude o próximo. Você pode mudar o mundo! Quero também agradecer a todos que fazem parte da minha vida, me apoiam, passam ensinamentos, me edificam… Vocês são todos especiais e me ajudaram a construir meu caminho!

Fundador e Diretor Geral

Natural de Maracaí no interior paulista, tem 18 anos e está em processo de preparação para o Vestibular do ITA, Instituto Tecnológico de Aeronáutica. Criou a Obmepeiros em novembro de 2015 e coordenou a Olimpíada Brasileira Virtual de Matemática até 2018.

[fbcomments]