Em Maracaí no interior de São Paulo a preparação para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e para a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)  já começaram e está conquistando a paixão dos alunos da cidade.

A Obmepeiros Educação, plataforma de preparação olímpica e desenvolvedora de projetos de auxílio, em parceria com a Prefeitura Municipal de Maracaí, Secretaria de Educação de Maracaí e Escola Estadual José Gonçalves de Mendonça lançaram o primeiro Polo Olímpico Obmepeiros com grande sucesso. A iniciativa veio de Renan Oliveira Proença, fundador da plataforma e multimedalhista em olimpíadas de matemática e astronomia que resolveu ajudar alunos da cidade a se prepararem para essas competições.

As aulas são direcionadas para alunos do 8º ano do Ensino Fundamental até o 2º ano do Ensino Médio e acontecem nos dias de segunda, quinta e sexta nos períodos da tarde e da noite. Os professores, Renan e José, convidaram 20 alunos para participarem da preparação que teve início no dia 4 de abril e seguirá até 20 de maio, véspera da prova da OBMEP.

“As olimpíadas foram realmente muito importantes em toda a minha trajetória, elas transformaram minha realidade de uma forma fantástica e disso surgiu a Obmepeiros para levar essas oportunidades para cada vez mais pessoas, assim como o polo de Maracaí” diz Renan feliz com o sucesso do projeto. Isso porque em 2017 ocorreu uma versão de testes na Escola Estadual Professor Clybas Pinto Ferraz em Assis/SP, vizinha de Maracaí, de onde saiu um premiado com medalha de bronze, Lucas Molitor.

Já Eduardo Correa Sotana, prefeito de Maracaí, após firmar a parceria para o projeto diz: “Sou um cara que gosta de projetos e desafios, mas a conversa de hoje me contagiou de várias formas, pois meu sonho era ser professor de matemática […] A escola que ele [Renan] vai começar o projeto é o Mendonça (escola que estudei minha vida toda), o fato de um jovem querer compartilhar conhecimento me fascina e uma das pessoas que ele se espelha é a Deputada Federal Tabata Amaral (jovem que começou a trilhar seu futuro na OBMEP) que tem uma história de vida linda e eu também sou fã”.

 

Alunos da turma OBMEP na primeira aula do curso.

 

A prefeitura e a secretaria de educação estão responsáveis por fornecer o material impresso necessário para as aulas e a alimentação dos alunos após os estudos, já a Obmepeiros por produzir os materiais e aplicar as aulas. A escola Mendonça já possui em sua história 4 medalhas de prata, 8 medalhas de bronze e dezenas de menções honrosas na OBMEP, assim como várias outras na Olimpíada Canguru. Além disso, este ano a escola participará de olimpíadas de História, Astronomia e Geografia, abrindo novas oportunidades a seus alunos.

E para Camilly Vitória, uma das alunas das aulas de matemática e astronomia as aulas estão sendo muito úteis em sua preparação: “O curso para mim está sendo muito bom, porque nele estou adquirindo muito conhecimento e me ajudou a me esforçar cada dia mais em meus estudos… lá também aprendemos coisas que por mais que sejam simples, tem uma grande importância; ele está me fazendo ter fome de conhecimento e de me esforçar muito mais para um dia também poder compartilhar todo esse conhecimento que estou adquirindo”.

 

Pausa para alimentação entre as aulas da OBMEP e OBA